Apoiomedicos maconha

Conversamos com o neurocientista, Dr. Renato Malcher e o médico Dr. Paulo Fleury para conseguir responder como cortar o efeito da maconha e também o que acontece se você tentar cortar o efeito da maconha, qual é a forma mais sensata conseguir. Leia e surpreenda-se com o cérebro!

Segundo o que eu sei, após fumar maconha. Demora cerca de 10 a 15 segundos pra “bater” (chegar a cabeça). O efeito é quase instantâneo, logo a maconha está ali, alojada no seu cérebro.

Como cortar o efeito da maconha?

…Uma vez que está ali (no cérebro), chamei pra conversa o Neurocientista e autor do livro “Maconha, Cérebro e Saúde”, Renato Malcher.

Doutor, há possibilidade  de cortar o efeito da maconha ?

Dr. Renato Malcher:
Olá Jonas, nunca li nada sobre essa possibilidade, mas eu creio que a única maneira seria a pessoa injetar um antagonista de receptores de canabinoide.

E como funciona esse antagonista de receptores de canabinoide? 

Dr. Renato Malcher:
São moléculas que se ligam ao receptor, não o ativa e impedem que os canabioides da maconha o façam Eles vão competir com o THC, por exemplo. São como chaves falsas que entram na ignição e impedem as chaves verdadeiras de funcionar.

É de fácil acesso, se compra na farmácia?

Há algum caso de uso?

Dr. Renato Malcher:
Ha um tempo atrás tentaram usar como remédio de emagrecimento, o Rimonabant (acomplia)…
As as pessoas emagreciam porque se saciavam logo, por mudanças metabólicas e porque perdiam o interesse em comer. Mas também perdiam o interesse em tudo que é prazeroso e entrava em severa depressão, por isto, o uso do rimonabant como recurso para emagrecimento foi severamente restrito.

Obrigado novamente Doutor!

Bom, respondemos a primeira a questão do tópico, mas agora existe outra dúvida.

Por que a droga que ‘corta o efeito da maconha’ foi proibida do dia pra noite? Ela pode fazer tanto mal assim?

Em 3 de novembro de 2008, mais precisamente as 11:40hr. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu, a manipulação da substância Rimonabanto, princípio ativo do medicamento Acomplia, fabricado pela Sanofi-Aventis (RE 4.087/2008).

O princípio ativo também não pode mais ser importado! A Agência publicou ainda a suspensão formal da importação, distribuição e comercialização do Acomplia e determinou que a empresa faça o recolhimento do medicamento em todo o país (RE 4.086/2008).

cortar efeito da maconha
A superpílula!

Então a Superpílula falhou?

O rimonabanto foi uma droga inicialmente patenteada pela gigante farmacêutica Sanofi-aventis e foi bastante utilizada nos meados de 2006 como sendo um dos mais promissores agentes na luta contra a obesidade. Aqui no Brasil a droga foi comercializada como Acomplia®, Zimult® e Redufast® e foi liberada em mais de 50 países em 2007, porém como você viu acima, a ANVISA, a exemplo da FDA, suspendeu sua venda em 2008. A principal alegação foram as possíveis ocorrências de depressão e tendências suicidas como efeitos colaterais de sua utilização.

A droga ganhou destaque por suas propriedades “milagrosas” no combate à obesidade. Até teve relatos de perda de 10 kg com esse medicamento.

E quem estava na busca por efeitos rápidos no emagrecimento, viram no rimonabanto uma esperança real, sendo assim sua proibição vista com maus olhos por um grande numero de pessoas ao redor do mundo (tipo TelexFree).

E qual é a atividade biológica do rimonabanto (efeitos)?

O que afirmam as fontes, foi que a descoberta deste medicamento se deu quando pesquisadores estudaram o funcionamento do sistema de endo-Canabinóide.

Endocanabinoides, Canabinoide, Cannabis… Temos maconha no cérebro?
Sim e há outro artigo que você pode aprofundar sua leitura para entender Aqui!

…Então, os cientistas identificaram em nosso organismo substâncias semelhantes a maconha, todavia, resultantes da produção endógena. Também observaram a ocorrência de enzimas específicas na sua ativação e degradação.

Destes endocanabinóides, dois foram identificados como mais importantes: a araquidonoilethanolamina, que foi denominada de anandamida. E a 2-araquidonoilglicerol (2-AG). Existem basicamente dois tipos de receptores para estas substâncias, denominados de receptoras CB¹ e CB². A maior parte destes encontra-se no cérebro e afetam áreas como a função motora, memória e estado psíquico.

Em menor escala, CB¹ e CB² aparecem nas células do sistema imunológico, muscular, no tecido adiposo e em diversas outras células do tecido neurológico.

Desempenham um importante papel na regulação da dor, da prevenção de alguns tipos de câncer e vários distúrbios. O rimonabanto age afinando-se com o receptor CB¹, impedindo desta forma, que a anadamida exerça sua função. Uma das influências mais importantes está na ativação do hormônio adiponectina, secretado nos adipócitos e que regula a formação de gordura em nosso organismo.

Níveis baixos de adiponectina são fortes indicadores de síndrome metabólica. Sob este aspecto, a droga exerce papel fundamental na utilização energética da gordura corporal, melhorando também o metabolismo da glicose e perfil lipídico.

acomplia remedioTá, perde a fome e o que mais? 

Embora a eficácia na queima de gordura tenha sido comprovada por diversos estudos há também o corte dos efeitos da maconha no cérebro. E o rimonabanto foi proibido devido à relação com depressão e inclinação ao suicídio. Ou seja, “bloquear” a larica, faz bloquear também suas recepções de prazer e por esse motivo a sua comercialização foi suspensa em 2008 e continua até hoje.


E nunca mais voltou!

O laboratório Sanofi-Aventis divulgou a suspensão temporária do medicamento Acomplia (rimonabanto) em todo o mundo. A medida foi tomada depois que a agência reguladora da Europa, a European Medicines Agency (EMEA), recomendou a retirada imediata do medicamento nos países da União Européia.

A agência concluiu que os benefícios do Acomplia não mais superavam seus riscos. Estudos demonstraram que pacientes que utilizaram o medicamento tiveram aproximadamente o dobro de risco de desenvolver problemas psiquiátricos, como ansiedade e depressão, comparado àqueles que não utilizaram o produto.

Quanto tempo dura o efeito da maconha?

A resposta é depende, cada organismo trabalha de uma forma com a substância, mas se você quer uma resposta mais conclusiva, eu diria em média dura até quatro horas. Você pode ver mais neste artigo que fala quanto tempo a maconha fica no organismo.

A maconha pode fica muito pouco no sangue, semanas. No entanto existem testes com cabelo que podem descobrir se você usou maconha durante o ano. Veja neste artigo sobre o tempo que a maconha fica no organismo.

Conclusões

Não há mais uma forma “legal”, sem prejudicar a saúde de como cortar o efeito da maconha. Nem mesmo a larica.
Como notamos acima, todas as tentativas dos idealizadores do rimonabanto em produzir uma solução definitiva para o combate à obesidade terminou em mais perdas do que ganhos. Muitas pesquisas ainda serão necessárias para atestar a viabilidade de um medicamento como um aliado seguro e quem sabe nunca consigam.

Por ora, o melhor é contar com o bom e velho BOM SENSO;

  • Se você não pode fumar antes de ir a uma reunião, não fume.
  • Se você está com fome, coma algo saudável.
  • Pratique exercícios, nada de sedentarismo.

Tá, mas  preciso ao menos diminuir o efeito da Maconha, há outra forma para a brisa da maconha passar rápido, como cortar o efeito da maconha?

Perguntei ao médico Dr. Paulo Fleury Teixeira…

Dr. Paulo Fleury Teixeira:
bom… sintetizando, o que eu posso dizer é que pela experiência clínica eu não identifico nada que tenha efeito contrário ao da maconha ou que iniba os efeitos da erva. Ou seja, nada que você usar antes ou depois da erva vai bloquear ou impedir o seu efeito (cortar o efeito da maconha).

As pesquisas com fármacos ativos sobre o sistema endocanabinoide chegou até ao desenvolvimento de bloqueadores dos receptores de canabinoides. Teoricamente um bloqueador poderia, então, impedir o efeito da maconha em você, mas na prática estudos feitos com um desses, o Rimonabant, revelaram que, ao longo do tempo, apenas os efeitos fisiológicos (tipo taquicardia são impedidos) , mas os psicológicos podem persistir ocorrendo, além disso essa droga está associada ao aumento de depressão e suicídios.

E como aliviar a brisa, doutor?
Dr. Paulo Fleury Teixeira:
Eu acredito que a única maneira de superar uma onda é você dirigi-la de algum modo, no equilíbrio entre se deixar levar pela onda e não se deixar perder nela…
O lance é dar pro sistema de recompensa o que ele quer, coma – mate a larica. Relaxe, faça algo que você goste, faça um exercício, corra, trabalhe… Ou simplesmente durma, veja um filme…

Algum tempo após seu cérebro ter recebido a “recompensa” a sua brisa não estará mais tão alta.

Mas afinal, quem aqui quer cortar o efeito da Maconha?

Muitos usuários entraram em contato pelo site perguntando e provavelmente brothers que caíram na roda e não se sentiram muito confortáveis com o efeito da maconha. Então serve para você saber que não deve oferecer a seus amigos e lembrar que cada corpo é um e a reação também é diferente de pessoa pra pessoa.

Serve também para você saber que o sistema de recompensa do seu cérebro é precioso e você tem que aproveitá-lo ao máximo, dando sensações prazerosas quando ele precisa.

Então não existe como cortar o efeito da maconha.

Fontes: 
Dr. Renato Malcher, Mestre em Biologia Molecular pela Universidade de Brasilia, doutor (Ph.D) em Neurociências pela Universidade Tulane (New Orleans, EUA), Fez Pós-Doutorado em Neurofisiologia Celular na Escola Politécnica de Lausanne- Suiça e em Bioquímica Analítica, na EMBRAPA. É professor adjunto do Departamento de Fisiologia da Universidade de Brasília e primeiro autor do livro “Maconha, Cérebro e Saúde” escrito em colaboração com Sidarta Ribeiro.

Dr. Paulo Freury Teixeira, Médico de Minas Gerais, trabalha com Maconha Medicinal, especializado em medicina preventiva, mestre e doutor em filosofia social. Professor, pesquisador e consultor em saúde pública, políticas sociais e filosofia social.

Proibição do Rimonabanto, ANVISA
https://www.anvisa.gov.br/divulga/noticias/2008/031108.htm

Rimonabanto, a “pílula antibarriga”, funciona?
artigo criado por Madilson Medeiros, Personal Trainer – Licenciatura plena em Educação Física CREF 1684-CE Pós-graduado em Nutrição e Exercício Físico.

//fisiculturismo.com.br/mat%C3%A9rias/_/esteroides/rimonabanto-a-%E2%80%9Cp%C3%ADlula-antibarriga%E2%80%9D-funciona-r276

4 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here