Apoiomedicos maconha

Nessa série de reportagens sobre a ganja no mundo vou compartilhar a minha experiência e conhecimento adquirido como turista canábico nos mais variados destinos, desde a busca de growers locais e suas técnicas de cultivo, situação de mercado e dicas de como conseguir buds de qualidade. Serão seis reportagens em vários países e além disso quem acompanhar vai concorrer a pacote de turismo canábico que você pode usar aqui pertinho, no Uruguai. (Veja no final do post)

A maconha é um assunto em alta nas notícias ao redor do mundo, a onda de regulamentação e legalização está acontecendo com muita rapidez em diversos países, Canadá, Estados Unidos e Uruguai, e a tendência é que muitas outras nações entrem nessa lista. Mas existe um país que tem o uso da cannabis entranhada na sua cultura e religião rasta há décadas, e é difícil não lembrar dela quando falamos da Jamaica.

Ao contrário do que muita gente pensa, a erva não é legalizada na Jamaica, somente em 2015 o governo local aprovou uma lei que descriminaliza a posse de até 56 gramas de flores secas, ou seja, caso você seja pego com menos dessa quantidade, você não será fichado na policia, e tem apenas que pagar uma pequena multa. Além disso, pode-se plantar até 5 pés em casa, e turistas com prescrição e carteirinha médica, que é o meu caso, podem comprar flores, óleos e comestíveis nas dispensaries jamaicanas, que ainda não são muitas. O governo também emite licenças de cultivo para maiores escalas, mas é o cultivo clandestino das comunidades que supre a maior demanda dos maconheiros atualmente.

Ok, a lei é essa, mas como funciona na prática e como eu descolo um blaze?

Como pude observar, a cannabis é virtualmente legal, as pessoas fumam na rua descaradamente, sem medo e sem problemas. O cheiro forte de ganja pura pode ser sentida no ar e a oferta está em todo lugar, principalmente nos pontos turísticos.
Basicamente você não precisa ir atrás da ganja, ela vai vir atrás de você, mas cuidado! Não é todo mundo que tem um produto de qualidade,  e como a Jamaica é uma ilha caribenha com sol e praias paradisíacas, muitos turistas vem pra cá, e é claro que os locais tiram proveito do desconhecimento de alguns.

Fiquei 7 dias na Jamaica, dei a volta inteira na ilha, cheguei por Kingston, que é o centro comercial/industrial, muita desorganização e caos no trânsito. Na capital tem pouca coisa para ver, mas a casa onde o Bob Marley morou boa parte de sua vida é parada obrigatória para os amantes de reggae.

Achamos um rasta muito simpático oferecendo a marijuana na beira da estrada a caminho das Blue Mountains, os buds eram razoáveis, pareciam frescos e estavam secos no ponto correto, mas infelizmente estavam com algumas sementes. O preço? Quanto você quiser dar, isso mesmo, ele não colocou um preço, ele simplesmente disse, me dê o que você achar que vale!

Casa onde Bob Marley morou e hoje abriga um museu, 56 Hope Road.
Casa onde Bob Marley morou e hoje abriga um museu, 56 Hope Road.

COMPRANDO LEGALMENTE

Seguindo nosso turismo canábico, passamos por St. Ann, aqui fomos na Kaya Herbhouse, a primeira de poucas dispensaries autorizadas na Jamaica. Para comprar, é necessário uma carteirinha médica, mas não se preocupe caso não tenha uma, eles tem um médico no local para receitar uma remédio natural para essa sua ansiedade/enxaqueca/insônia.

A Kaya Herbhouse, é como todos os dispensário autorizado que já fui, tem preços altos, mas muito mais opção e procedência. Os produtos ficavam todos expostos, óleos, cartridges, comestíveis e muita parafernalha: canecas, bongs, pipes, cremes com cânhamo e dichavadores.

A experiência foi ótima, os atendentes muito receptivos e dispostos a ajudar a fazer sua viagem a marte sensacional.
Preço médio por grama de flores secas = $10,00.

O local ainda conta com um Coffeebar, para você tomar café ou rum enquanto fuma sua erva. Todas as paixões nacionais em um só lugar. Para a larica eles tem pizza e sucos naturais orgânicos com frutas da região.

ORANGE HILL
Durante a estadia, conversei com várias pessoas sobre a cultura local da cannabis, queria saber onde encontraria as flores de melhor qualidade, e de maneira unânime, todos apontaram Orange Hilll. Altitude, solo, clima e localização fazem desse lugar a “Mecca da Cannabis na Jamaica”, então se você é um amante da erva como eu, não deixe de passar ali.

Orange Hill é um morro nos arredores de Negril, onde vivem diversas comunidades carentes. O lugar é pacifico, mas não vá entrando em qualquer beco sem antes se informar, ok? Como disse lá em cima, a maconha não é legalizada e as comunidades são muito protetoras, as plantações e venda aos turistas em Negril são o sustento dessas famílias.


Conseguimos acesso a uma plantação depois do contato com um rasta que estava queimando seu baseado tranquilamente em Negril. Estava na cara que era local, falei que tinha interesse em visitar e conhecer mais as técnicas de cultivo e ele prontamente me passou as direções para eu encontrar os fazendeiros das comunidades.

Buscar alguém e demonstrar seu interesse é a maneira mais efetiva para se conhecer as plantações. Não existe um turismo formal nessa região e provavelmente se você pegar seu carro e for até Orange Hill não vai encontrar nada no caminho que te direcione para os lugares certos. Em função da erva não ser legalizada, as plantações são escondidas no meio das comunidades e normalmente é necessário fazer uma pequena trilha no meio da mata para chegar a elas.

Seguem as fotos do meu dia na Disney Jamaicana.

Grower locais numa plantação de mais ou menos 300 plantas.
Grower locais numa plantação de mais ou menos 300 plantas.

Essa ilha realmente é maravilhosa, porém cara. A moeda é o dólar jamaicano, mas os preços são definidos em dólar americano, e todo estabelecimento aceita as duas moedas. As laricas são deliciosas, condimentadas na medida certa, um prato de almoço você vai pagar pelo menos 10 dólares americanos, em torno de 40 reais na conversão de hoje. Portanto, se planeje, para um turista apaixonado por música, praias e erva, esse é o lugar perfeito para você relaxar no melhor estilo jamaicano e curtir seu baseado com vistas de deixar sua boca seca.

JAH BLESS!

Informe:
O WeedTour está apoiando a difusão dessa reportagem, depois que sair o último artigo dessa série sobre tour canábico iremos sortear um Pacote Basic Kush Tour que pode ser utilizado até dezembro de 2019.

*O pacote não incluí hospedagem, passagens aéreas e nem terrestres.

Escreva seu comentário

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here