Apoiomedicos maconha

11061195_496904120474009_3548183633151295895_n

 

Era quinta-feira e precisava muito relaxar a cabeça. Espairecer as ideias, dar uma aliviada mesmo. Muito trabalho, dia e noite. As vezes parece que 24 horas não são os bastante.

Cheguei em casa do supermercado e um amigo me mandou uma mensagem oferecendo uma cerveja no bar da frente aqui de casa. Mas eu não estava afim de beber. Queria mesmo era fumar um.

Mandei uma mensagem para um amigo meu perguntando se ele não tinha um pra botar.

Ele me respondeu que sim e eu parti de bicicleta até lá.

Depois de fumar, esvaziar a mente e conseguir relaxar em meio a essa vida corrida, conversamos sobre tudo, sabe como é… Aquele papo de maconheiro que fala até do sentido da vida, deus, o mundo e o universo, etc.

Tudo muito bem até que, do nada, aparece o pai do cara dando um susto na gente. Sem problemas, eu acho, exceto pelo fato de que o pai dele não sabia que ele fumava, me culpou dizendo que eu havia levado e o filho dele tem apenas 17 anos. Ok.

Com toda a calma do mundo perguntei ao pai do cara se estaria tudo bem se eu estivesse ali tomando uma cerveja com o filho dele.

Ele me respondeu que sim.

O problema que eu vejo aqui não é o fato de a cerveja ser uma droga ou não. De a maconha fazer mal ou não. Mas que simplesmente não temos uma cabeça aberta o suficiente para raciocinar sobre o que significa fazer uso de alguma droga. De entender que diferentes substâncias possuem diferentes reações em diferentes pessoas.

É preciso que as pessoas entendam a importancia do conhecimento antes de impor sua opinião com base apenas em sua própria vivência.

Mas com a atenção que temos à educação nesse país com nome de árvore, me parece que a consciência é algo não muito comum.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here