Apoiomedicos maconha

Campanha do governo tenta diminuir o uso da maconha no volante, de longe a substância mais usada pelos motoristas franceses. As informações são da RFI< “Fumar maconha é ilegal. Na estrada, pode ser fatal” é o título da campanha lançada pelo governo francês nesta quinta-feira (3) contra motoristas que dirigem após consumir entorpecentes. A campanha acontece antes do lançamento de testes de saliva de última geração, considerados mais confiáveis pelo governo francês. O sistema, já experimentado em onze departamentos franceses, estará disponível até o final do ano, no mais tardar no início de 2017, segundo afirmou Emmanuel Barbe, delegado interministerial para a Segurança Rodoviária no país. Os novos testes de saliva detectam a presença de cannabis (maconha), cocaína e derivados (crack), anfetaminas (ecstasy) e mesmo de opiáceos (morfina, heroína).

“O objetivo é aumentar a conscientização sobre os perigos do consumo de drogas na direção, com uma mensagem clara: as coisas vão mudar porque agora podemos facilmente comprovar o uso de entorpecentes”, disse Emmanuel Barbe, que espera “uma explosão de testes de saliva com resultados positivos”.

Os números do uso de entorpecentes nas estradas da França
Em 2015, foram registradas mais de 58 mil infrações por uso de drogas em cerca de 118 mil exames realizados em motoristas na França. A partir de agora, ao invés de levar um motorista cujo teste deu positivo para fazer uma confirmação por meio de um exame de sangue, a polícia vai diretamente poder aplicar as sanções necessárias previstas na lei. Uma segunda amostra de saliva será então enviada para análise laboratorial. “Em 99% dos casos, o resultado do primeiro teste é confirmado no laboratório”, afirmou Emmanuel Barbe.

“A saliva é o único meio capaz para de detectar o uso recente de entorpecentes que possam interferir na condução”, explica Jean-Pascal Assailly, psicólogo e pesquisador do Instituto Francês de Ciência e Tecnologia dos Transportes (Ifsttar, na sigla em francês) da França.

“A maconha afeta principalmente os aspectos mais automatizados de condução, como o cálculo da distância lateral da calçada e a distância longitudinal com o veículo da frente”, afirma Assailly. “Seu efeito sedativo também aumenta o tempo de tomada de decisão em situações de emergência”, acrescentou o especialista.

Em 2015, 23% das mortes na estrada foram contabilizadas em acidentes envolvendo um motorista que havia consumido pelo menos um tipo de entorpecente. Metade dos motoristas que testam positivo para as drogas ao volante também excedem o limite permitido de álcool no sangue, uma combinação que multiplica por 23 o risco de acidentes. O problema afeta particularmente os jovens entre 18 e 24 anos de idade na França. Em 94% dos casos, os motoristas são homens.

Veja a animação lançada pelo governo francês nesta quinta-feira como parte da campanha educativa contra o uso de entorpecentes ao volante:

*Ative a legenda no vídeo e a opção de traduzir automaticamente para português

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here