Apoiomedicos maconha

Os principais meios de notícias do Brasil e no mundo, no dia 31/01, parecem ter saído das páginas de um tabloide da época do Reefer Madness. De acordo com as manchetes rodeadas de tons proibicionistas e da máxima “eu te disse”, noticiam a morte uma de mulher britânica e usando a maconha como causa, quando na real a mesma morreu de um ataque cardíaco.

Em nosso dever na luta antiproibicionista e sem deixar espaço para a manipulação barata da mídia, do legista e dos proibicionistas, explanamos a seguir a opinião de Peter Reynolds, líder da Cannabis Law Reform – Clear, no Reino Unido, sobre a morte da mulher e a demonização da maconha no caso.

O proibicionismo tenta por todos os lados, mas quem vive a luta está de olhos abertos, para as manobras repentinas e não será um argumento fraco como a fatalidade ocorrida que freará a tendência mundial da regulamentação da maconha!

O que eles estão ignorando completamente é a evidência na frente deles: há milhões de consumidores de maconha em todo o mundo e não estamos caindo mortos como moscas de ataques cardíacos.

Mas o proibicionismo aparentemente gosta de culpar a erva com as coisas mais sem nexo. O governo do Reino Unido sai na frente já listando oficialmente cinco mortes que foram “provocadas” pela maconha em meados da década de 1990. Mais tarde, foi revelado que todas essas mortes foram realmente causadas por outros motivos, menos a maconha.

Confira, com informações via Huff Post UK

Grupo de defesa contraria laudo que afirma a morte de uma britânica por uso de maconha

Gemma Moss foi encontrada morta em outubro do ano passado, com níveis moderados de maconha em seu sangue.

Exames em seus órgãos vitais não detectaram nada fora do comum, apesar do patologista do inquérito em Bournemouth, informar que a mulher pode ter sofrido uma parada cardíaca desencadeada por uma toxidade da maconha.

Sua morte foi registrada causada por uma “toxidade da maconha” e o médico legista registrou o veredito da morte por abuso de maconha.

Mas Peter Reynolds, líder da Cannabis Law Reform (CLEAR), um grupo que defende uma reforma urgente nas leis sobre a maconha no Reino Unido, disse ao HuffPost UK: “A ciência simplesmente não suporta este veredito Deve ter havido um outro fator envolvido e não há qualquer evidência de que a maconha seja o fator causador.”

“Tragicamente, parada cardíaca pode ocorrer espontaneamente em pessoas aparentemente saudáveis. A cannabis é a substância terapeuticamente ativa menos tóxica conhecida pelo homem”.

Peter Reynolds
Peter Reynolds, líder da Cannabis Law Reform (CLEAR)

Gemma, uma cristã devota que foi batizada no ano passado, era conhecida por usar maconha regularmente ao longo de sua vida adulta, mas tinha parado por dois anos antes de sua morte.

Ela começou a utilizar novamente para ajudá-la a dormir, depois de se tornar ansiosa e deprimida após o rompimento de seu relacionamento, analisou o inquérito.

Metade de um baseado foi encontrado debaixo do seu corpo e um invólucro que continha folhas de maconha na sua bolsa. Sua amiga, Zara hill, disse à polícia que a Gemma fumou tanto quanto £60 da droga por semana, embora esta versão não seja confirmada pela família.

O patologista do caso, Dr. Kudair Hussein, disse no inquérito: “O exame físico e o exame de vários órgãos incluindo o coração e o fígado não mostraram nenhuma anomalia que poderia ser responsável pela morte da britânica.

“O nível de canabinoides no sangue eram 0,1-0,15 miligramas por litro, isto é considerado como moderado em comparação ao uso pesado de maconha. Eu investiguei em diversas literaturas e é sabido que a maconha é uma substância de baixa toxidade

“Mas há relatos que dizem que a maconha pode ser considerada como a causa da morte, porque pode ter induzido uma parada cardíaca.”

O legista de Bournemouth, e o Sheriff Payne, ainda questionou ao Dr. Hussein: “Você está satisfeito que foram os efeitos da maconha o que ocasionou a morte.”

Dr. Hussian, que investiga o caso apenas respondeu que “Sim”.

Em uma entrevista sobre o esclarecimento da morte da britânica, o legista afirmou que, “Gemma tinha sido uma usuária a longo prazo de maconha”.

Sendo que ela sofria de depressão e estava tomando antidepressivos para lidar com o problema, embora não demonstrem que isso possa ser o o tenha levado a sua morte.

Gemma geralmente usava maconha a noite para auxiliar no sono, sem fazer o uso da erva durante o dia.

Os legistas não poderiam ter encontrado qualquer causa natural para a sua morte?

“No equilíbrio da probabilidade, o mais provável é que ela não tenha morrido por causa da maconha”.

Carolyn Stuart, uma legista disse que, “É muito raro ter a toxidade da maconha como causa da morte, ela era saudável, tinha 31 anos de idade e não tinha nada de errado com ela”.

De acordo com um estudo frequentemente citado, um fumante de maconha teria que consumir 20.000 a 40.000 vezes a quantidade de tetrahidrocanabinol (THC) – o ingrediente ativo da maconha – de uma única vez para um risco de morte.

Reynolds, da Cannabis Law Reform, disse: “A maconha é provavelmente a substância terapeuticamente ativa menos tóxicas conhecidas pelo homem. A sua razão terapêutica (TR) é tão elevada que se torna virtualmente impossível de calcular, mas acredita-se ser entre 1:20000 e 1:40000.

“Assim, se 100 mg de maconha produzem um efeito, uma dose fatal teria que ter por volta de 2 a 4 quilos e fumadas de uma única vez. Isto é claramente impossível.

“A Proporção Terapêutica (TR) é a relação entre a dose eficaz para 50% dos usuários (ED50 – Effective dose) e a dose letal para o outro grupo de 50% de usuários (DL50 – Lethal dose) . O TR do álcool é de 1:20 e da heroína é de 1:5.”

Simon Antrobus, executivo-chefe da Addaction, principal grupo de tratamento a base de caridade a dependentes de álcool e drogas, no Reino Unido, disse ao HuffPost UK: “Este é um caso trágico e preocupante, e as conclusões do legista levará tanto tempo quanto experiência para entende-la corretamente.

“É extremamente importante o que e como fazemos isso, na experiência da Addaction, proporcionamos educação verdadeira e factual sobre as drogas é a melhor maneira de lidar com o seu uso.

“Mortes relacionadas diretamente ao consumo de maconha são altamente incomum. Mais tipicamente, pode causar uma série de problemas pessoais – em relação a ansiedade, a saúde mental além dos problemas com relacionamentos e familiares.”

No Reino Unido a posse da droga pode resultar em uma sentença de cinco anos de prisão, uma multa ilimitada ou ambos. A oferta e produção é punível com multas e uma sentença de até 14 anos.

Via The HuffPost UK
Tradução SmokeBud

6 COMENTÁRIOS

  1. Aqui em casa e na minha familīa a maconha só Causou depressão. Além da depressão ela roubou a adolescência e juventude do meu filho que hoje estå sem emprego, sem perspectiva de futuro e completamente escravizado pelo vicio da maconha e outras drogas que entraram pela porta aberta. PENSEM UM POUCO MAIS ANTES DE FAZER APOLOGIA E BANALIZAR O USO DE UMA DROGA QUE ESTÁ DEVASTANDO FAMĪLIAS, INTERROMPENDO VIDAS E DEESTRUINDO UMA GERAÇAO.

    • Minha senhora, se (e somente se) isso for verdade, é uma RARA exceção, aliás, é comprovado que famílias, não importe qual seja sua definição, vivem mais felizes e com menos brigas quando os seus integrantes usam maconha.

      O mal dessa geração são essas pessoas que afirmam algo no achismo, segue um pastor IDIOTA (com maiúsculo pra você), mas mal param pra pensar e revisar a história da maconha no mundo, e, até, na própria Bíblia (sério, estude sobre isso).

      Bom, ao invés de falar asneira (de primeiro grau), se isso aconteceu na sua família, não foi por causa da maconha, foi por falta de informação, falta de uma MÃE de verdade, que, ao invés, de falar asneira pro filho, o apoiasse e desse uma força para vencer na vida, independe do que ele usasse.

      #quebrandootabu

      • Senhora, existem pessoas que são da mesma forma que seu filho só que são viciado em jogos, bebidas alcoólicas, ou apenas preguiçosos. Então n coloque a culpa na substância se seu filho é um bosta na vida. Existem milhares de pessoas bem sucedidas que consomem maconha, e eu estou sendo uma delas, td dando certo em minha vida, profissional e etc, e sem deixar de fumar alguns por dia. Ninguém é menos digno pq fuma maconha.

  2. Aqui em casa e na minha familīa a maconha só Causou depressão. Além da depressão ela roubou a adolescência e juventude do meu filho que hoje estå sem emprego, sem perspectiva de futuro e completamente escravizado pelo vicio da maconha e outras drogas que entraram pela porta aberta. PENSEM UM POUCO MAIS ANTES DE FAZER APOLOGIA E BANALIZAR O USO DE UMA DROGA QUE ESTÁ DEVASTANDO FAMĪLIAS, INTERROMPENDO VIDAS E DEESTRUINDO UMA GERAÇAO.

  3. Aqui em casa e na minha familīa a maconha só Causou depressão. Além da depressão ela roubou a adolescência e juventude do meu filho que hoje estå sem emprego, sem perspectiva de futuro e completamente escravizado pelo vicio da maconha e outras drogas que entraram pela porta aberta. PENSEM UM POUCO MAIS ANTES DE FAZER APOLOGIA E BANALIZAR O USO DE UMA DROGA QUE ESTÁ DEVASTANDO FAMĪLIAS, INTERROMPENDO VIDAS E DEESTRUINDO UMA GERAÇAO.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here