Apoiomedicos maconha

Para o Deputado Osmar Terra, todas as mães, pais, filhos, parentes e amigos de pessoas que procuram na maconha talvez a última esperança de cura ou alívio das dores, de qualidade de vida e um mínimo de alegria, não passam de HIPÓCRITAS.

Lamentável a falta de clareza nas ideias do deputado Osmar Terra e sua trupe. Hipócrita é a luta PROIBICIONISTA que sempre visou o interesse econômico e não a saúde e a vida da população. E é o que você confere no artigo dos Advogados Contra o Proibicionismo – ACPo qual assinamos em baixo.

“HIPÓCRITAS!”

Por ACP – Advogados Contra o Proibicionismo

Para o Deputado Osmar Terra, todas as mães, pais, filhos, parentes e amigos de pessoas que procuram na maconha talvez a última esperança de cura ou alívio das dores, de qualidade de vida e um mínimo de alegria, não passam de HIPÓCRITAS.

A dor dos parentes que perderam seus entes queridos antes que pudessem ao menos tentar administrar a planta em busca de uma sobrevida também não passa disso: pura HIPOCRISIA!, segundo o deputado.

E o pior: o Deputado se diz Médico!

Mas devemos lembrar a todos o que realmente lhe move a permanecer cego perante a todas as evidências terapêuticas mundiais a favor da maconha.

Na verdade, o Deputado, que é do PMDB, milita em prol dos interesses das clínicas de reabilitação de drogados que lucram milhões de reais por ano, pagos inclusive com dinheiro público, e a legalização da maconha irá cortar a mina de ouro.

Pela mesma razão seu Projeto de Lei n° 7663/2010 prevê expressamente não só o aumento das penas para os traficantes, como a INTERNAÇÃO COMPULSÓRIA dos usuários de drogas em clínicas de reabilitação mantidas por entidades religiosas e com previsão de pagamento com dinheiro público. Se não acredita, é só ler o projeto.

Não por coincidência, o Deputado elaborou recentemente um manifesto de cunho religioso contra a legalização da maconha juntamente ao psiquiatra Ronaldo Laranjeira, eminente defensor da proibição e coincidentemente proprietário de clínica de reabilitação.
https://www.slideee.com/slide/deputado-osmar-terra-e-medico-ronaldo-laranjeira-lideram-manifesto-contra-a-legaliza-o-das-drogas-no-brasil

manifesto osmar e laranjada

Ronaldo Laranjeira também preside o núcleo de Estudos sobre Drogas da Associação Brasileira de Psiquiatria, ao lado de outros membros que também possuem clínicas de reabilitação.

Alguém tem dúvidas de que a legalização trará uma perda irreparável nos seus lucros?

Pois ao menos do ponto de vista ético, o Ministério Público do Estado de São Paulo não tem dúvida alguma. Isso porque o governo Alckmin contratou uma entidade filantrópica presidida pelo psiquiatra Ronaldo Laranjeira para administrar o futuro hospital de dependentes químicos da Cracolândia, na região central: A Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), organização social vinculada à Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Não haveria, em tese, problema algum nessa contratação, não fosse Laranjeira também o Coordenador do programa anticrack da Secretaria Estadual de Saúde. Pelo contrato, a SPDM de Laranjeira vai receber cerca de R$114 milhões, no período de  5 anos, para gerenciar a unidade da Rua Helvetia.

“Do ponto de vista ético, merece uma reflexão maior. (O contrato) É algo que precisaria ser mais bem pensado e investigado. É uma situação muito inusual alguém estar dos dois lados, como contratante e como contratado”, afirmou o promotor da Saúde Pública Arthur Pinto Filho.
//noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2014/04/02/mp-ve-conflito-em-programa-anticrack-de-sp.htm

Na prática, se de um lado a turma de Osmar Terra parece não se importar com os mais pobres, negros e periféricos presos, torturados e mortos, do outro certamente terão mais usuários internados à força e a garantia dos bolsos de poucos cheios de dinheiro às custas dos “hipócritas”.

De se ressaltar que o índice de sucesso no tratamento das internações compulsórias é de aproximadamente 2%, enquanto o índice de reincidência dos presos em regime fechado é mais de 70%.
Não por acaso, esse tipo de intervenção não é mais recomendado pela terapêutica internacional, sendo a internação compulsória media excepcional e por período breve, em casos de surto e difícil contenção. Na mesma linha, as leis contra as drogas vêm sendo revistas, já que a prisão torna a dependência ainda mais severa.

SIM! A campanha PROIBICIONISTA tem como núcleo o INTERESSE ECONÔMICO e não a SAÚDE e a VIDA!

Escreva seu comentário

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here