Apoiomedicos maconha

A música é de 1986, exatos 30 anos após Titãs lançar uma música um tanto afrontadora, mas que mostra uma única realidade, que pouca coisa mudou até agora. Há anos vemos inúmeros casos recorrentes de desvios de conduta, sempre com os mesmos, dois argumentos, tráfico ou desacato a autoridade.

Foi esse mesmo argumento que Amarildo Dias de Souza, ajudante de pedreiro e brasileiro ficou conhecido nacionalmente por conta de seu desaparecimento, em 2013, após ter sido detido por policiais militares e conduzido da porta de sua casa, na Favela da Rocinha, em direção a sede da Unidade de Polícia Pacificadora do bairro.

Na noite em que foi detido, duas câmeras diante do distrito policial (UPP) tiveram problemas e o GPS dos carros de polícia estavam desligados. Responsável pelas duas câmeras da UPP, a empresa responsável constatou que elas estavam queimadas e alegou que falhas são frequentes em redes elétricas instáveis. No entanto, das 84 câmeras na Rocinha, apenas as da UPP apresentaram problemas naquela noite. Na Auditoria Militar para investigar o caso, foi confirmado que o ex-comandante da UPP da Rocinha, major Edson Santos, subornou uma moradora da comunidade, para que a mesma mentisse em testemunho sobre o caso. A moradora, Lucia, disse ter sido orientada pelo major a dar falsas informações por temer represálias de policiais contra seu filho. Só em Junho de 2015, graças aos peritos e a tecnologia foi constatado que a segunda viatura do Bope quando saia da UPP carregava um volume uma (capa de moto) cobrindo uma coisa parecendo ser um cadáver, e também tinha três policiais na frente deste volume.

O caso de Amarildo virou um símbolo de desaparecimentos não esclarecidos pela polícia. Se você quiser entender o caso pode assistir: O Estopim, documentário que mistura cenas com atores e depoimentos reais.

Covardia

Provavelmente é essa palavra que vem na sua cabeça após saber do fato acima, mas o problema é muito maior… Há inúmeros casos similares e  brutalidades ainda maiores acontecendo no nosso cotidiano, em todo o Brasil. Posso listar facilmente várias ocorrências envolvendo mortes, agressão e abuso de autoridade, se você procurar um pouco no youtube encontrará de tudo, desde constrangimento até morte de animais. Isso sem contar os tais grupos de extermínio.

Listei acima só alguns casos dos últimos seis anos, entre todos o que prevalece é o fato de que a pessoa atrás da farda, sabe que está ali para servir e proteger. Sabe o significado da farda e a responsabilidade moral firmada com a sociedade, sabe também da lei. Mas ignora tudo inclusive a moral, em pró dos seus próprios interesses.

direitos-humanos

Abordagens Inóspitas

É então que a população fica indignada diante dos ocorridos, não poderia ser diferente. O grande problema é que na maioria das vezes os policiais ao invés de terem empatia com as perdas de vidas, com o acontecido, ignoram os fatos e a sensibilidade. E passam a ter o discurso raso e encefálico “quero ver quem você vai chamar quando te roubarem”, isso só produz uma reação, fazer com que a população perceba a ineficiência de quem deveria ter a moral e então que acontece a treta. Aumenta discurso de ódio dos dois lados e o extremismo. Só aumenta o embate entre a população que tem seus filhos, irmãos, sobrinhos mortos e a corporação, que não é composta só por assassinos e corruptos, mas que são coniventes com o clima de guerra, fazendo o contrário do que diz a famosa lei “todo mundo é inocente até que se prove ao contrário”.

O que é Moral?
Segundo o professor de ética da USP, Clóvis de Barros Filho é o que não faríamos mesmo que não tivesse ninguém olhando. Ou seja, a moral começa de nós mesmos só que a nossa criatividade é imensa, tudo a troco de enganar o intelecto…. Quem nunca usou carteirinha de estudante falsa, parou em fila dupla para buscar o filho na escola, estacionou na vaga de idoso ou deficiente ou fez algo que mesmo sabendo que é errado. Pois é…

“Caso Isolado”

Não são casos isolados, como diria os grandes fãs do Bolsomito. Realmente são casos isolados noticiados, então para pra pensar… Esses casos foram noticiados, quantos outros casos não são noticiados? Quantos outros casos são escondidos pra baixo do tapete? 

A culpa é de quem?

Como diz o Tropa de Elite, a Policia é só um braço do sistema, o braço punitivo. Sabemos que o drama do policial é imenso. Da péssima seleção, ao treinamento ineficiente, os baixos recursos e, o risco eminente que a polícia passa no enfrentamento diário. Ainda que tenha diversos treinamentos, palestras e até teatrinhos vemos que a policia não reflete sobre as suas escolhas, sobre as conseqüências de seus atos. É quase um braço, manipulado pelo moralismo popular.

A máquina de matar mata, mata de todos os lados.

Querem me controlar mas são todos descontrolados…

A photo posted by Jonas Rossatto (@jonasrossatto) on

 

A cultura do medo

Não são só as ex-mulheres de policiais que acompanham as agressões e histórias de violência gratuita. A população também evita registrar ocorrências nas delegacias ou até mesmo no ministério público. Os maus policiais só são freados quando um viral acontece, ou pior, quando um inocente morre.

Junto a essa cultura do medo, também estão outros policias que não sabem. Mas indiretamente acabam contribuindo para esse embate entre a população x policia. São os policiais que ao invés de se preocupar com verdadeiros criminosos querem dar “exemplo” da forma mais errada possível. Punindo jovens, usuários de drogas, manifestantes, todo e qualquer um que chegar a falar das atrocidades que a polícia comete.

O caso mais recente aconteceu na última quinta (30) em Pedregulho. Uma agência da Caixa foi assaltada por bandidos estavam fortamente armados e um jogador de basquete de 19 anos acordou com o barulho dos tiros e depois escreveu um post no facebook.

Assim como disse um dos policiais disseram na matéria da Folha, toda ação tem uma reação. O mais fácil seria eles ignorar a mensagem do jovem e focado em resolver outros crimes da sociedade e evitar gerar uma opinião pública negativa. Na mesma matéria há outra ocasião onde um rapaz, menor de idade é levado pela PM (sem os pais) até o conselho tutelar de outra cidade por postar críticas na rede social.

Se você imagina que os policiais estavam errado ao fazer o que fizeram, acertou. Segundo a Ordem dos Advogados do Ceará, houve e um excesso por parte das autoridades, já que o desacato só pode ser caracterizado pessoalmente. Ou seja, a policia não pode e não deveria bater na tua casa por emitir um comentário negativo a corporação em uma rede social.

A desmilitarização da Policia

policia-para-quem-precisaComo vocês podem notar ao longo da matéria o grande problema não é só o policial. É nossa cultura! O resquício do governo militar, de acharem que estão lidando com inimigos, esse tipo de cultura acredita que o inimigo no campo de batalha deve ser aniquilado. Luiz Eduardo Soares, criador dos livros “A Elite da Tropa 1 e 2” — que tornou-se os filmes de maior sucesso de bilheteria do cinema nacional já disse em outros “uma pata da ditadura plantada com suas garras no coração da democracia”. Outro fator bem importante é o plano de carreira desses profissionais, O coronel, os oficiais, acumulam muito poder em uma figura só. O coronel tem muita influência enorme dentro do batalhão dele, e quando um policial não acata determinada ordem acontece a chamada, transgressão disciplinar. É o coronel que determina muitas coisas e o soldado não pode questionar o coronel. Assim a guerra continua… Não é só a desmilitarização que vai resolver, posso citar a Argentina, onde morei por três anos e que possuí umas polícia unificada e que ainda é federais, mais corruptas do mundo.

E a música?

Tony Bellotto, escreveu a música após ter sido preso com o vocalista Arnaldo Antunes por porte de heroína. Os versos “Dizem que ela existe pra ajudar, dizem que ela existe pra proteger” e foi cantado para se referir ao desvio de funções da polícia, usando como no lugar do sistema saúde.

Ainda veremos muita truculência, muita gente morta e muito extremismo. Em um ano a polícia de São Paulo mata que a polícia dos Estados Unidos no país inteiro. Aí você vai falar, olha que países você quer comparar. A culpa não é só da polícia, é de pseudo-políticos como Osmar Terra que são a favor da popularmente conhecida e falha Guerra as Drogas que infla a opinião pública para que o sistema mais fraco puxe o gatilho, que junto a empresas mal intencionadas compram superiores corruptos e arbitrários tratem seu contigente como subordinados, número. E sobretudo nós, que não acompanhamos os perfis dos nossos políticos.

flower-power

É utopia pensar que podemos viver sem policiais…
Vamos precisar, crimes sempre vão existir e o ser humano é mal, acredite.
Olha a escravidão, olha a evolução da humanidade, as guerras, tudo….Estamos mudando e tudo pode mudar, a mudança começa dentro de nós mesmos, a sociedade pode evoluir, pode registrar esses abusos, pode passar a cobrar no ministério público, sempre.

Já dizia o meu pai: Quem tem medo de polícia é estuprador e ladrão!
Então porque ter medo? Pelos dados que esse artigo, pelos dados que fala a grande maioria fala…

Mas lembre-se, toda unanimidade é burrice – já dizia Nelson Rodrigues.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here