Apoiomedicos maconha

As informações são do Sun Times, em seu recente artigo (em inglês) trouxe um novo estudo onde diz que a maconha também pode ser uma alternativa para tratamentos de doenças mentais como depressão e como porta de saída para drogas mais nocivas, confere ai.

Por muito tempo, a maconha tem sido rotulada como uma substância viciante e “porta de entrada” para outras drogas. No entanto, um estudo publicado na revista Clinical Psychology Review mostra exatamente o contrário.

O uso da maconha pode ajudar as pessoas a largarem o álcool e outras substâncias mais nocivas, como os medicamentos com alta capacidade de vício e analgésicos para dores.

O mesmo estudo aponta para evidências de que a maconha pode ajudar no combate aos sintomas de depressão, estresse pós-traumático e ansiedade social.

“Pesquisas sugerem que as pessoas podem estar usando a cannabis como uma droga de saída para reduzir o uso de substâncias potencialmente mais prejudiciais, tais como analgésicos à base de opiáceos”, conta Zach Walsh, professor de psicologia na Universidade da Columbia Britânica.

“Ao analisar as evidências limitadas sobre a cannabis medicinal, parece que os pacientes, e outros que têm defendido a cannabis como uma ferramenta para a redução de danos e saúde mental, têm alguns pontos válidos”, diz Walsh.

Porém a pesquisa conclui que o uso da maconha não é recomendado para aqueles que apresentam transtorno bipolar ou psicose, embora os pesquisadores tenham observado que a substância não aumenta o risco de danos ao paciente.

Para Walsh, mais pesquisas são necessárias para compreender melhor os impactos do consumo da cannabis, ajudando os profissionais de saúde mental a irem além do estigma da planta.

“Não há atualmente muita orientação clara sobre como os profissionais de saúde mental podem trabalhar melhor com pessoas que estão usando cannabis para fins médicos”, aponta Walsh. “Com o fim da proibição, dizer às pessoas para simplesmente parar de usar pode não ser mais viável. Saber como considerar a maconha na equação do tratamento se tornará uma necessidade.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here