Apoiomedicos maconha

Com certeza você já se viu em uma situação onde você está com muita vontade de fazer algo, mas não sabe o que é, e por conta disso você se pegou procurando motivos até no abrir e fechar da geladeira. Não estava com fome ou sede, mas procurava o que comer ou beber. Você pega o controle da televisão para se distrair e troca de canal 200 vezes. Vai no youtube para assistir a um vídeo, mas acaba vendo horas de pegadinhas. Entra no facebook para ler suas notificações e acaba lendo a timeline das últimas 24 horas. O que isso quer dizer para você?

Para mim, e esta é somente a minha opinião, se você está fazendo isso sem um propósito ou vontade consciente, você simplesmente não sabe o que está fazendo. Não existe nenhum problema nisso, mas como diria o Lewis Carroll: “Se você não sabe onde quer ir, qualquer caminho serve”. Isso se aplica ao que foi dito acima, pois se você sabe o que quer fazer, qualquer coisa servirá… ou não! E é aí que mora o problema…

Ficar em casa jogado no sofá, jogando vídeo game ou assistindo filmes, enquanto planeja ficar chapado durante o fim de semana todo… existe problema nisso? De forma alguma! Se você não deixa de fazer nada que considera importante e escolhe isso, não existe absolutamente nenhum problema. Inclusive te dou os parabéns por saber exatamente o que quer fazer.

barco horizonte

Mas e quando você faz porque “não tem nada pra fazer”? O que significa isso? O que você faz quando não tem vontade de fazer nada?

A maioria das pessoas procura se distrair, passando o tempo com algum entretenimento que preencha esse espaço, até então, vazio em sua vida. Buscam por uma solução imediata para sua angústia e de fato conseguem encontrar, o que é perfeito ao meu ver (desde que não gere agressão e desrespeito a ninguém)! Mas e se você faz isso e a angústia não passa? Ou ainda pior, ela só aumenta, mesmo que aos poucos? O que você faz quando se encontra num momento como esse? Chorar, fugir ou pedir para que o tempo passe mais rápido não adianta, já tentei quando era criança e tomei um pescotapa da vida (também conhecida como pai ou mãe).

Para tentar se livrar dessa angústia, muitos filósofos recorreram ao pensamento para acalmar suas emoções. Seja buscando explicações para as mais profundas questões, filosofando sobre os anseios da vida e procurando sentidos nos mais variados momentos e interações que a vida propõe, a angústia é colocada em pauta em todas as eras que já passamos. Para alguns pessimistas como Schopenhauer e Nietzsche, viver é uma tragédia marcada por sofrimentos constantes, onde buscar por mais alegrias em nossas vidas é uma forma de nos desviar, mesmo que por alguns instantes, da nossa própria carência por algo inexplicável e sem sentido, vivendo em intervalos de prazer num mar de infelicidades.

Por mais que eu entenda a visão pessimista e de vez em quando até flerto com pensamentos que predizem o pior, não concordo que seja assim a melhor maneira de passar o tempo em vida. Como disse antes, já tentei chorar e fugir de alguns momentos da vida, mas não resolve, né? Na verdade, a solução não foi encontrada e o caminho mais lógico trazido pela razão pessimista é sentar e esperar pelo fim.

Concordo com o pensamento e a lógica, só não compartilho com a finalidade da ação. Não sei até onde vai essa relação, mas depois que comecei a usar Maconha comecei a questionar com mais vontade todos os modi operandi que foram estabelecidos na sociedade. Já achava que viver sem sentido ou levar uma vida pessimista era um atraso, não para minha vida particular, e sim para o contexto social contemporâneo.

To-do-list

Portanto, a pergunta “o que você faz quando não tem vontade de fazer nada?” é um divisor entre pessoas que respondem “não sei, não tem nada pra fazer” e as que respondem “não sei o que fazer, mas estou procurando”. Pertenço ao segundo grupo, que mesmo enxergando a curva evolutiva apontando para o desastre, colapso e caos pós-apocalíptico, permaneço em busca do caminho do meio, achando o equilíbrio necessário para sair do mar de infelicidades e cair na corrente marítima do bem-estar social, apontando a proa do barco para o horizonte utópico que sustenta a mente dos otimistas.

Para os que não sabem o que fazer da vida ou estão em momentos difíceis achando que nada vai dar certo, se agarre a uma causa, ache um propósito e aponte seu barco para o horizonte! Existem muitas pessoas no segundo grupo tentando mudar a sociedade. Lutar pela legalização é um bom propósito, mas a parede da proibição é muito grande! Se cada um ajudar quebrando um tijolo (preconceito), uma hora a parede cai e o horizonte se amplia de novo, criando uma nova utopia!

Vamos juntos quebrar essa parede!

Fiquem na paz e achem seus propósitos de vida!

Escreva seu comentário

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here