MPF, UFPB e Lifesa firmarão convênio para cultivar maconha com fins medicinais. Próximo será a autorização da Anvisa para que a pesquisa seja desenvolvida. As informações são do G1.

O Ministério Público Federal (MPF), representantes da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e do Laboratório Industrial Farmacêutico da Paraíba (Lifesa) resolveram prosseguir com as tentativas de firmar um convênio que permitirá a fabricação de medicamento com o uso de maconha. A decisão, divulgada nesta terça-feira (13), foi tomada durante uma reunião realizada na sexta-feira (9).

A primeira ideia, segundo o procurador regional dos Direitos do Cidadão, José Godoy Bezerra de Souza, é que a maconha seja plantada no campus da UFPB, em João Pessoa, para que a erva seja utilizada pelo Lifesa. O laboratório deve produzir o medicamento com padrão farmacêutico.

As discussões sobre a produção do medicamento já acontecem há mais de um ano. O próximo passo é solicitar autorização de cultivo da planta pela UFPB, para que a pesquisa seja desenvolvida e registrada na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O MPF atesta, através de documentos médicos, que não há dúvidas sobre a eficácia do uso dos óleos da cannabis no tratamento de crises epilépticas e de outras doenças. Alegou ainda que a substância já é autorizada em países como Inglaterra, Nova Zelândia e Canadá e em mais de 20 estados americanos.

Escreva seu comentário

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here